Da aceitação à libertação


Encontre a chave certa para cada fechadura: enfim, poderemos soltar e libertar todos os fantasmas que guardávamos para nós, e nos tornarmos livres, para sermos apenas nós

 

Quando uma pessoa vivencia um luto ou uma perda, segundo a psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross,ocorre a necessidade de passar por 5 fases: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação, para então poder superar a frustração da perda. Da mesma forma, quando uma pessoa vive frustrações, mágoas, raivas precisa aceitar o que ocorreu, para então poder deixar o passado e seguir em frente. Quando há uma doença, é preciso aceitar o que está ocorrendo e por qual motivo está ocorrendo. 

Enquanto não são aceitos os defeitos, não se procura uma terapia ou terapeuta para que possa auxiliar; enquanto não são aceitas e reconhecidas as fragilidades, não são buscadas as fontes para modificá-las, tendendo a permanecer na sabotagem e acreditando que o mundo é do jeito que é pois tem que ser assim, que o trabalho é do jeito que é e tem que permanecer assim, que a família é do jeito que é, e tem que aceitar assim, o casamento é do jeito que é e tem que aceitar, pois é assim. 

Ouço pessoas reclamando que tudo é difícil, que a vida é um peso, uma carga enorme, mas não fazem nada para modificar isto, parece que permanecer na reclamação é uma forma mais vantajosa de viver a vida, do que ter uma vida fantástica. 

Sempre há a tendência de que reclamar dos outros é mais fácil do que olhar seus próprios defeitos, mas isto faz os problemas continuarem e não serem resolvidos. Quantas pessoas você conhece que mudam de trabalho, que mudam de relacionamento, mas na verdade as reclamações continuam a acontecer? Parece um clichê, mas é uma bela de uma verdade, que a verdadeira felicidade está sim dentro de nós. Não digo que seja fácil desvendá-la, mas é uma busca que precisa ser iniciada. 

Só conseguimos saber quem somos, o que somos, e por qual motivo somos, quando olhamos para nós, quando buscamos no interior, na sombra, no mais obscuro do ser, o que escondemos, o que não dizemos, o que não ousamos, para que os outros não sofram, para que os outros fiquem bem, para que nos amem, para que tudo permaneça bem. Quando enfim encontramos os porquês, entendemos que não existe mais a necessidade deles, pois eles foram criados em um tempo longínquo, um tempo que não existe mais, foram formulados por uma criança, um adolescente, que já mudou seus pensamentos e agora já é um adulto. Foram formulados por antepassados que viviam outras eras, outras fases de guerras, disputas de terras, falências, problemas familiares, tragédias, discórdias, imigrações e etc. 

Quando encontramos as chaves certas das fechaduras, que trancam as portas das nossas maiores frustrações, as crenças enraizadas, das sabotagens que nos impedem de sermos quem realmente queremos ser, podemos enfim soltar e libertar todos os fantasmas que guardávamos para nós, e nos tornarmos livres, para sermos apenas nós. 

Será que já chegou a sua hora de olhar para o que você esconde a sete chaves? Será que chegou a hora de aceitar o que passou e poder enfim viver a liberdade completa e se livrar das algemas que te prendem para enfim ser feliz, na mais pura paixão e plenitude da vida? 

Pense nisto!! 


Dr. Ivan Bonaldo (Crefito 8/99696-F)

Fisioterapeuta e idealizador das Leis Biológicas Experience

Terça-feira, 28 de Maio de 2019
Voltar
Rua Silvio Vidal - 175, Sala 601 | Centro Médico Dr. Silvio Vidal - Pato Branco - PR
ivanbonaldo@yahoo.com.br | ativaterapias@gmail.com
(46) 3025-5399 | (46) 9981-2112
Site Desenvolvido por Agencia PQPK