Estômago e o início dos sintomas


Quando um paciente chega ao consultório com um sintoma, uma dor ou disfunção em um determinado órgão, tendemos a deduzir automaticamente que há um padrão bioquímico, físico ou mecânico de alteração naquele local. Mas quando começamos a ter também um olhar sobre a parte psíquica dos órgãos, temos um olhar a mais sobre as possibilidades de fragilização em cada órgão.

Um detalhe que muitos acabam esquecendo de observar no contexto psíquico, é que dependendo da derivação embriológica do tecido do órgão e sua função específica, ele acaba por desencadear sintomas próprios.

Por exemplo, quando falamos em alterações no estômago, há dois tipos de tecidos principais que precisamos observar e distinguir suas reações e sintomas, sendo elas a curvatura maior do estômago que apresenta uma derivação endodérmica embriologicamente e a curvatura menor do estômago que é derivada da parte ectodérmica, e por isto, são alterados por contextos de conflitos diferentes.

Uma das primeiras observações que podemos ter sobre estes dois tecidos é que os sintomas aparecem em fases diferentes do conflito.

Quando uma pessoa está em fase de estresse da curvatura maior do estômago, que é alterada em conflitos de não ser capaz de digerir um alimento ou emocionalmente não ser capaz de digerir uma situação que está sendo vivida, ou ainda não ser capaz de assimilar, entender algo que está acontecendo, em geral não há sintomas. Quando a pessoa relaxa desta situação, quando se resolve o conflito, ou melhora a situação de estresse, começam a aparecer dificuldades na digestão, arrotos, regurgitamentos, com possíveis estados febris. Em meio a fase de resolução do conflito, há um pico simpaticotônico, que acarreta sintomas abruptos, como náuseas e vômitos mais potentes e fortes, que duram algumas horas, e que após o vômito, a pessoa não sente alívio, permanecendo mais tempo para se reestabelecer, debilitada e com mal estar. Posteriormente a pessoa tende a se reestabelecer e voltar ao normal, com exceção das pessoas que revivem a situação do estresse ou a reativam de alguma forma, neste caso poderia permanecer com sintomas por mais tempo.

Quando falamos na curvatura menor do estômago, que é derivada do ectoderma, ela é alterada em situações de contrariedade indigesta, em situações de injustiça e/ou raiva. Pelo fato de o ectoderma dar origem a tecidos mais evoluídos durante a filogênese, ele apresenta uma associação e função territorial e relacional, por isto os conflitos têm estas características.

Quando uma pessoa permanece em conflito de injustiça, raivas sobre o território profissional ou familiar, nestes casos surgem os sintomas de fase de estresse, que são aquelas dores queimantes, da gastrite, durante a fase de estresse, com perdas de apetites abruptas. Neste caso específico há a redução do sintoma durante a fase de resolução, ou seja, quando a pessoa

consegue resolver ou sair daquela frustração, há a redução ou ausência do sintoma a partir de então, até um momento chamado de epicrise, que ocorre em meio a fase de resolução, onde há uma hipersimpaticotonia momentânea, que acaba por desencadear dores agudas, com pontadas na boca do estômago, com vômitos, mas que neste caso a pessoa se sente aliviada após esvaziar o líquido do estômago, passando então ao processo de correção e melhora do tecido alterado, retornando à normalidade, a menos que ocorra recidiva do estresse.

A importância em se entender os detalhes de cada tecido nos permite ser mais precisos quando um paciente chega com determinado sintoma, pois se compreendemos que o sintoma é de fase de estresse ou de resolução do conflito, podemos ser mais precisos em dizer que o sintoma surgiu quando a pessoa saiu do estresse, ou começou exatamente quando a pessoa começou a viver a frustração, e assim reconhecendo o conflito, é mais fácil achar os trilhos que o desencadeia e, por consequência, orientar o paciente de como pode enfim sair por completo da enfermidade.

Por isto, tire um tempo para estudar mais a fundo a segunda e a terceira lei biológica, que será muito mais fácil o processo de entendimento, diagnóstico e tratamento de seu paciente.

 


Dr. Ivan Bonaldo (Crefito 8/99696-F)

Fisioterapeuta e idealizador das Leis Biológicas Experience

 

 

Terça-feira, 25 de Junho de 2019
Voltar
Rua Silvio Vidal - 175, Sala 601 | Centro Médico Dr. Silvio Vidal - Pato Branco - PR
ivanbonaldo@yahoo.com.br | ativaterapias@gmail.com
(46) 3025-5399 | (46) 9981-2112
Site Desenvolvido por Agencia PQPK