A vida cinza de quem não consegue expressar sentimentos

Quando olhamos para uma pessoa que não expressa emoções, que parece fria, sem gosto pela vida, que está simplesmente ali, deixando a vida levar, começamos a parar e pensar, o que de tão trágico pode ter acontecido em sua vida para deixá-la assim?

Não é muito difícil encontrar idosos, jovens e mesmo crianças, com estas dificuldades, querendo simplesmente ficar em seu canto, com rostos que não modificam aos sinais do exterior.

Muitas vezes enquadramos vários tipos de sinais como Depressão, mas dentro deles existem características diferentes, que fazem total diferença quando tentamos analisar a causa deste processo ter iniciado.

Dentro dos estudos das Leis Biológicas, Dr. Hamer percebeu que muitos dos nossos estados físicos e emocionais vêm de um processo que ele denominou como Programas Especiais Biológicos de Sobrevivência, é isto mesmo, ao invés de chamar de “doença” ele percebeu que nossos organismos, devido à filogênese (evolução das espécies) iniciou a instalação de programas com o intuito da manutenção da vida, ou seja, as melhores maneiras encontradas para sobreviver, permaneceram fixadas nos indivíduos, pois simplesmente funcionaram no objetivo de manter o ser vivo perante ao ambiente hostil, e aquilo que não auxiliou era descartado.

Mas o que isto tem a ver com o fato de uma pessoa estar emocionalmente sem sentimentos?

Parece estranho não é, mas tudo tem relação com a sobrevivência. No mundo animal, quando um predador abocanha uma presa, esta se sente atacada e em ameaça de vida, ou seja, neste momento ela tem que desativar todos os seus processos de sentimentos, seja eles de dor ou de emoções, pois um animal que sente dor, enquanto está sendo perfurado por uma garra ou um dente, ou que sente medo, é um animal que irá se debater, e quanto mais ele se debate, mais o predador irá apertar os dentes em sua carne.

Neste momento que a presa entra neste programa biológico de sobrevivência ela tende a ficar estagnada, parada, sem se mover ou expressar qualquer reação, como se estivesse já morta, assim o predador achando que já conquistou sua comida, acaba soltando a presa por segundos, onde surge um pequeno momento de possibilidade de fuga.

Você deve estar pensando, “ah, mas isto ocorre somente no mundo animal!”.

Te digo que infelizmente não, já ouvi vários casos de pessoas que foram espancadas, onde a melhor maneira de evitar serem mortas, era fingir de morto, e então eu pensava, como uma pessoa toda quebrada ou até esfaqueada, que deveria ter dores imensas, consegue fingir de morta? Pois é por este programa de sobrevivência que momentaneamente bloqueia os sinais dos sintomas, assim neste pequeno instante, ela não sente dor, ou no caso de uma pessoa que sofre um acidente gravíssivo, que se levanta, mesmo com sangue, cortes, e somente depois começa a sentir as dores.

Estes exemplos que dei, são situações momentâneas, que logo após a pessoa sair do estado de perigo, ela volta a sentir sintomas e reações físicas e emocionais.

Mas agora imagine uma pessoa que vive constantemente sendo atacada, talvez fisicamente, como no caso de uma mulher com um marido alcoolatra, que bate nela todas as noites, ou uma criança com pais violentos, que por qualquer ato que faça apanha intensamente e muitas vezes de forma injusta, pois os pais expressam a raiva deles por outras coisas em cima da criança.

Não só por conta de ataques físicos nosso cérebro dá início a este programa, mas também a ataques verbais. Imagine uma criança sendo criticada o tempo todo por sua mãe, que foi mãe solteira, dizendo que ela é o grande estorvo da sua vida; ou um adolescente que é criticado o tempo inteiro por seus gostos e suas atitudes; ou mesmo uma criança que presencia ataques entre seus pais o tempo todo, como se a casa fosse um ambiente hostil de se viver. Também podemos exemplificar um idoso que é maltratado por seus filhos, sendo recriminado por cada ajuda que tenta fazer, pois pelo fato de não ter forças acaba derrubando um copo, ou por ser esquecido, acaba derramando o leite que estava esquentando no fogão.

Frequentemente este tipo de casos estão presentes dentro do consultório, e quanto mais tempo a pessoa permanece dentro destes conflitos, ou quanto maior a intensidade do processo, mais forte é o sintoma e dificuldade em expressar as emoções ou mesmo conseguir distinguir as emoções, ficando apático, que tanto faz como tanto fez viver e estar ali. Isto é chamado dentro das Leis Biológicas de Constelação Cerebral Esquizofrênica Emocionalmente Morto, quando a pessoa vive no mínimo um conflito em cada lado do cerebelo, nos centros de controle dos órgão responsáveis pela proteção do corpo e dos órgãos.

Quando compreendido estes fatores precocemente, é possível restaurar o bem-estar desta pessoa, ela pode então voltar a ser feliz e expressar o amor e a alegria pela vida, mas antes é preciso entender o que para ela representa estes ataques, e tirar esta pessoa deste ambiente que lhe faz tanto mal, ou modificar o ambiente, para que se torne mais acolhedor

Quer saber mais sobre a Origem emocional de outros sintomas? Acesse meu canal do youtube e confira: www.youtube.com/ivanbonaldo

 

Dr. Ivan Bonaldo (Crefito 8/99696-F)

Fisioterapeuta e idealizador das Leis Biológicas Experience

 

Terça-feira, 06 de Agosto de 2019
Voltar
Rua Silvio Vidal - 175, Sala 601 | Centro Médico Dr. Silvio Vidal - Pato Branco - PR
ivanbonaldo@yahoo.com.br | ativaterapias@gmail.com
(46) 3025-5399 | (46) 9981-2112
Site Desenvolvido por Agencia PQPK