Dor de cabeça no período menstrual

Dor de cabeça no período menstrual, você sabe o que isso significa?

Como houveram algumas pessoas que me perguntaram qual é a relação da dor de cabeça com relação ao período menstrual, resolvi fazer este artigo para responder essa pergunta, que é tão comum.

A dor de cabeça geralmente têm duas formas ou sensações diferentes, a dor de cabeça “em capacete” que é a dor de cabeça que faz uma pressão sobre a cabeça e essa dor acaba sendo contínua, representando que estamos em fase de estresse com relação à alguma situação, pois as musculaturas tendem a promover uma tensão na fase de estresse. Já em uma fase de resolução do conflito, ou seja, quando eu relaxei e saí de uma frustração, ocorre uma sensação de dor pulsátil, pois há um estímulo arterial como se as artérias aumentassem o calibre para aumentar o fluxo de sangue naquela região da cabeça e assim melhorar a reparação daquele tecido que estava em disfunção devido a uma frustração. Sendo assim, entendemos que se há uma dor de cabeça quando a pessoa menstrua, ela pode representar uma dor continua ou uma dor pulsátil.

Se é uma dor contínua a pessoa está em fase de estresse por estar menstruada, se ela tem uma dor pulsátil e latejante, quer dizer que ela está em uma fase pós estresse. Então algumas mulheres estão tensas na fase de menstruação, enquanto outras mulheres estão relaxadas porque menstruaram.

Vamos começar explicando melhor a dor pulsátil.

Eu atendo muitas pacientes que têm essa dor latejante no período menstrual, que muita vezes significa ao que menstruar é bom. Mas por qual motivo menstruar poderia ser bom Ivan?

Vamos falar sobre algumas possibilidades, isto pode ocorre quando no caso por exemplo de um mulher ter medo de engravidar. Então se a paciente tem medo intenso de engravidar ou já passou por isso anteriormente, por exemplo, quando estava namorando a menstruação atrasou e achou que estava grávida, então isso representou que quando a menstruação veio ela pôde relaxar ou seja: "Eu não estou grávida."

Isso faz com que cada menstruação que venha, posteriormente, podendo permanecer nesse padrão de dor de cabeça por anos, seja por causa do medo de estar grávida de novo ou pelo fato de o inconsciente ter gravado aquela informação naquele momento anterior e assim, a cada menstruação o alerta inconsciente pode aparecer novamente, mesmo que a pessoa já tenha laqueadura ou o esposo vasectomia, mesmo que ela use anticoncepcional ou camisinha, pois o inconsciente não é controlado pelo consciente, ou seja, mesmo racionalmente sabendo que não há o perigo de engravidar hoje, o cérebro já gravou que menstruar representa um alívio e nisto que ele se baseia, mesmo racionalmente sabendo que não exista mais o perigo.

Quando a menstruação vem é como se reavivasse aquele estado de alívio então ela relaxa, e a  dor de cabeça latejante reativa, mas claro que isso nem sempre acontece com todas as mulheres. Entretanto, encontro muito frequentemente mulheres que tomaram  pílula do dia seguinte, ou que passaram por um atraso menstrual ou realmente que pode ter tido uma gravidez que não foi desejada, uma gravidez antes do casamento,  uma gravidez que ela não estava esperando mais filhos, um em um momento ruim de dificuldade com o parceiro ou financeiramente e a partir de então cada menstruação vinha com esse estado de alerta e relaxamento.

Muitas mulheres trazem também esse alerta dos antepassados. Mulheres que engravidaram antes do casamento ou tiveram filhos que representaram naquela gestação um perigo de morrer no parto, etc. Isso gera uma associação de que engravidar novamente pode ser um risco de morrer, então esse estresse do alerta de que gravidez representa um perigo está eminente no inconsciente ou mesmo conscientemente e aquelas mulheres que têm essa sensação e que desde a primeira menstruação tem a dor de cabeça latejante, muitas vezes significa que o conflito não é dela e sim um conflito vindo de antepassados que viveram situações em que gravidez é realmente uma representação de perigo ou mesmo a sua própria gravidez quando a pessoa estava lá dentro do útero da sua mãe e a mãe percebeu que aquela gravidez poderia representar um risco de vida ou uma frustração de não querer estar grávida naquele momento, ou mesmo de homens na história da família que tiveram filhos fora do casamento, ou que viram suas esposas passarem por perigos na hora do parto, e ficaram com medo que elas engravidassem novamente.

Quando a pessoa começa a ter dor cabeça depois de um tempo, por exemplo, menstruou aos 12 ou 13 anos de idade e a dor de cabeça começa aos 18 ou 19 anos, aí pode representar uma situação vivida por. Quando ela começou a ter relações sexuais e assim começou a ter medo de engravidar a partir daquele momento.

Já a dor de cabeça contínua representa o estado onde menstruar é tenso, não é agradável. Pode-se representar uma situação de uma mulher que não viu com bons olhos a primeira menstruação, as vezes a mãe ou sua irmã não tinha explicado como era a menstruação e ela não sabia o que era estar menstruada e o fato de sangrar provocou realmente uma relação de medo para ela, como um medo da morte, um medo que algo ruim poderia estar acontecendo, porque ela estava sangrando do nada, ou só o fato de estar sangrando poderia ser visto como um perigo. Se ela não entender essa relação de menstruação, a relação de sangrar, é como se viesse com um vínculo de perigo de ver seu sangue e ter medo inconscientemente perante a ele. Por mais que ela entenda depois, que menstruar é tranquilo, e que não tem problema, o fato é que ficou gravado em algum momento da vida dela que menstruar não era bom, ou tias e irmãs que falavam que menstruar é terrível, que algo abominável ou algo do demônio, assustando a menina, ou ainda, que na primeira menstruação ela sujou a roupa, e as outras crianças tiraram sarro dela.

Outros casos podem acontecer como o fato de que uma pessoa teve algum sangramento por uma queda ou algo assim. Por exemplo, uma criança de 5 anos de idade que caiu de bunda no chão se machucou e teve sangramento nessa região vaginal ou na região pélvica baixa e ela pode ter visto aquele sangramento com uma sensação de perigo ou de medo perante aquele sangue.

Uma vez ouvi uma história de uma paciente que estava andando de bicicleta, caiu e “rasgou a perna”, no caso, a coxa próximo ao glúteo e o sangramento gerou um medo de contar para a mãe, e o que a mãe poderia achar ou falar sobre aquilo? O fato de ter sangrado naquele momento representava a sensação de medo e cada vez que ela sangrava de novo, agora na menstruação é como se reativasse o estado de estresse que ela sentiu anteriormente, e voltava a sensação cerebral dela daquele primeiro problema e por consequência, no caso dela, a dor de cabeça.

Outro exemplo que eu posso dar para você, é sobre crianças que são abusadas sexualmente ou mesmo mulheres que vivenciam a primeira relação como algo desagradável, onde a penetração desencadeia um sangramento vaginal,  naquele momento ela remete àquele sangramento com nojo, com repulsa e com frustração de terem sido tocada, talvez muitas vezes com raiva daquela situação que gerou medo e insegurança. Então isso pode se associar ao fato de que cada vez que ela sangra de novo é como se reativasse o sentimento que ela teve perante aquela penetração, perante aquele toque que foi abusivo, que foi nojento e foi frustrante para ela

 Esses são exemplos que eu vejo frequentemente aqui na clínica e eu queria passar para você, claro que podem existir outras inúmeras possibilidades, mas espero que gostem, que encaixe com alguns casos que vocês já viram na clinica e entendam o porquê de ocorrer esta relação de dores de cabeças no período menstrual e agora poder associar com a vivência do seu paciente, e entender que não é pelo que aconteceu lá atrás que irá acontecer de novo, então o passado já foi e agora é possível viver a menstruação de uma forma tranquila, sem mais dores e incômodos. Nenhuma mulher precisa ter sintoma no período menstrual, apenas o sangramento pode ocorrer, desde que seja realmente encontrado todos os processos que causaram alterações e corrigidos.

Essa dica fez sentido pra você?

Compartilha com aquelas pessoas que você sabe que tem essas dores de cabeça no período menstrual para que ela não precise ficar sofrendo com isso.

Dr. Ivan Bonaldo (Crefito 8/99696-F)

Fisioterapeuta e idealizador do Curso Origens

Quinta-feira, 19 de Dezembro de 2019
Voltar
Rua Silvio Vidal - 175, Sala 601 | Centro Médico Dr. Silvio Vidal - Pato Branco - PR
ivanbonaldo@yahoo.com.br | ativaterapias@gmail.com
(46) 3025-5399 | (46) 9981-2112
Site Desenvolvido por Agencia PQPK