A fase pós stress

Há momentos em que eu recebo perguntas de algumas mães ou de alguns pacientes meus que falam “ah agora estou com febre”... “eu tenho muita dor”... “o que está acontecendo comigo”...

 

Eu vou explicar um pouco melhor para vocês o que isso representa perante a sintomas vindo do emocional.

 

Muitos de nossos sintomas aparecem na fase chamada de fase exsudativa, que é um período de reparação e restauração dos tecidos.

 

Durante a nossa vida nós passamos por várias situações de estresse, de conflitos e frustrações, em que estamos em alerta perante uma situação, e sempre após isso nós vivemos a fase chamada Pós Estresse, então, claro que há pessoas que nunca chegam a esta fase, pois permanecem vida inteira em conflito, em alerta e nunca resolve determinadas situações de conflito, mas se uma pessoa consegue sair de um conflito, ela geralmente vai apresentar sintomas.

 

Por isso em geral, os sintomas do nosso corpo são apresentados quando enfim conseguimos sair de uma situação incômoda, ou seja, nós vivemos uma situação de hiperestimulação do nosso corpo, com estresse, preocupação, culpa, medos, frustrações e após isso, quando entramos em um estado de relaxamento dessa adrenalina do alerta, o nosso corpo entra numa ativação hiperparassimpática.

 

Este é o momento que o nosso corpo precisa para se reparar, se reconstituir e voltar ao

funcionamento normal do organismo. Só que nesse momento, para poder reparar o organismo é necessário que o sangue vá até aquela região, causando um edema e inflamação local, para que aquele tecido se restaure.

 

O momento da inflamação, é quando geralmente a pessoa acaba apresentando sintomas. É quando a pessoa apresenta febre, quando ela vai apresentar dores ou que ela vai ter as infecções, porque o corpo vai usar de todas as maneiras para que aquele tecido seja restaurado, ou porque na fase de estresse ele teve uma necrose do tecido e aí o sangue precisa ir para aquela região restaurar aquele tecido necrosado, ou porque houve proliferação celular, e vai ter a necessidade de  eliminar todo aquele tecido em excesso que foi produzido na fase de conflito. Esse padrão vai depender do tipo de tecido que foi atingido

 

Então, durante a fase pós estresse, a inflamação ocorre como um benefício. O sangue é o único dos tecidos que leva materiais para que o corpo se restaure, e para que o corpo cicatrize aquelas alterações, aquele tecido necrosado ou aquele tecido que foi proliferado naquela região, seja fagocitado ou elimine essa substâncias em excesso.

 

Por isso que é necessário que o sangue vá até a região, e por isto que não deveria haver uma grande preocupação por ter uma febre ou uma inflamação momentânea. O problema é quando a pessoa permanece muito tempo tendo a febre, muito tempo tendo a inflamação, muito tempo tendo a dor. Nestes casos isto quer dizer que o corpo dela não está se restaurando tanto quanto deveria, e neste caso é necessário entender o que está fazendo com que a pessoa permaneça no conflito.

 

O corpo vai precisar se restaurar, mas quanto mais intensa ou quanto mais prolongada a fase de estresse, maior o sintoma na fase após a saída do estresse, e é por isso que algumas pessoas acabam reclamando que  tiveram sintomas muito intensos, mas é que tudo vai depender da intensidade ou duração do conflito. Enquanto outras pessoas apresentam só uma “gripezinha”, uma tosse e passam 1 ou 2 dias e já se resolvem, outras pessoas passam duas semanas com aquela gripe ou chegam a desencadear uma pneumonia.

 

Então quando você tiver uma situação de estresse muito prolongada, e você finalmente relaxar, seja por você conseguido falar para uma pessoa tudo aquilo que você gostaria de falar, o que antes você não pôde, ou que você tenha fugido de uma situação que representava um stress para você, ou por exemplo, para algumas pessoas o casamento pode ser uma situação de estresse, então se separar é uma forma de resolver está situação, ou ainda aquele adolescente que vive na casa dos pais e os pais só brigam, é como se fugir de casa fosse a solução para aquele conflito, e a partir do momento que ele foge daquele conflito ele entra na fase de inflamatória.

 

E para algumas pessoas até a morte é uma resolução, porque às vezes elas vivem uma situação de frustração com alguma pessoa e que está incomodando ela, ou mesmo uma pessoa que está cuidando de um doente, quando aquela pessoa falecer pode ser como se ela conseguisse sair do estresse, porque naquele momento ela para a preocupação dela com o doente ou para de se frustrar ou se irritar com aquela pessoa que fica arranjando picuinhas ou frustrações para aquela pessoa.

 

Ou existe também uma outra forma de sair do processo de estresse que é a evolução. É quando a gente consegue evoluir a nossa forma de pensar sobre aquela situação, mudando foco. Quando conseguimos sair da situação, saindo da percepção errada daquilo, e mudando apenas o foco e percepção da situação conscientemente, podemos nos libertar do estado de alerta.

 

Muitas vezes quando é realizado terapias, psicologia ou a microfisioterapia, constelação familiar, temos a noção do que está causando a fase de estresse e conseguimos ver com olhos diferentes aquela situação, o nosso corpo sai da percepção conflitiva.

 

É por isso que se fala que, muitas vezes, depois de algumas terapias destes tipos, a pessoa pode ter uns dias de sintomas. Mas são dias necessários de sintomas para que a pessoa saia daquela fase de estresse que poderia vir a gerar uma doença muito grave pra ela futuramente.

 

Quando a pessoa sai daquela fase de estresse durante alguma terapia também ela pode desencadear uma febrezinha, uma inflamação, uma dor, uma alteração durante os primeiros dias, que é para o corpo se restaurar e voltar o máximo possível à normalidade.

 

Conseguiu entender um pouco mais? Observe que durante a fase de estresse estamos na adrenalina e na fase de pós estresse entramos em sintomas de cura e resolução. E nesse momentos teremos um cansaço mais intenso. Muitas vezes as pessoas acabam confundindo esse cansaço pós estresse com uma depressão ou desânimo, porque elas estão apenas resolvendo uma situação que há muito tempo esta lhe frustrando.

 

É por isso que se fala que a melhor coisa para a gripe é cama,  porque a partir do momento que você dorme você relaxa e o seu corpo restaura, é isso que teu corpo está pedindo, para que você durma e o descanse.

 

Só que com a vida que nós temos hoje em dia, não nos permitimos relaxar, descansar e repor as energias para que o nosso organismo volte a funcionar numa maneira adequada e muitas vezes aqui esse ciclo se torna um círculo vicioso e o corpo nunca volta à normalidade como antes.

 

E você, já passou por alguma situação assim em que você sentiu muitas dores e ficou bravo com aquilo? Você já teve sintomas e se sentiu desagradado contigo mesmo, querendo eliminar o sintoma de uma vez por todas?

 

Aproveite compartilhe com as pessoas que você conhece que estão vivendo situações de sintomas momentâneos para que elas possam entender também porque esse sintoma aparece e que elas possam também administrar essa situação para que saiam o quanto antes do sintoma, dessa alteração.

 

 

Quer saber mais sobre a Origem Emocional dos Sintomas? Confira os vídeos com outros conteúdos no YouTube.com/ivanbonaldo


Dr. Ivan Bonaldo (Crefito 8/99696-F)

Fisioterapeuta e idealizador do Curso Origens

 

Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020
Voltar
Rua Silvio Vidal - 175, Sala 601 | Centro Médico Dr. Silvio Vidal - Pato Branco - PR
ivanbonaldo@yahoo.com.br | ativaterapias@gmail.com
(46) 3025-5399 | (46) 9981-2112
Site Desenvolvido por Agencia PQPK