Seu paciente apresenta sentimentos guardados?

Você já atendeu pacientes que guardam a sete chaves os sentimentos?

Aquelas pessoas que vestem aquela carapuça que não deixa você entender realmente o que se passa na mente delas?

Você gostaria de encontrar a chave certa para abrir a porta do subconsciente do paciente e conseguir desvendar o que está escrito lá dentro, nesse quarto secreto do paciente cheio de enigmas e segredos que muitas vezes ele vem escondendo?

Esse tipo de pessoa não quer demonstrar para os outros o que ela sente, seja pelo fato de não querer que outras pessoas fiquem magoadas pelo sentimento que elas têm ou seja porque não querem fazer os outros sofrerem com aquilo, e justamente por isso ela está se frustrando. Então essas pessoas se fecham naquele quarto secreto em que guardam tudo que há de mais escondido e mais sombrio da vida dela para que as outras pessoas não descubram o que ela esconde. E esse quarto secreto é o nosso subconsciente.

 

Desde o começo da minha jornada, eu tive a mesma dificuldade que muitos profissionais, que é realmente desvendar o que o paciente esconde lá dentro dele, e isso pode ser desvendado quando você toma consciência de que os sintomas não mentem.

Todo e qualquer sintoma fala exatamente uma relação emocional específica.  Você consegue entender o que seu paciente está vivendo naquele momento e isso foi o que as Leis Biológicas nos proporcionou. Foi isso que o Dr. Hamer conheceu com os estudos dele.

Quando nós sabemos interpretar cada sintoma do corpo, conseguimos relacionar o que se passa realmente dentro do subconsciente do nosso paciente e é no subconsciente que ele guarda suas crenças, seus medos e  tudo o que passou desde a gestação, infância, adolescência ou tudo que ele, de tanto as pessoas falarem repetidamente, e que ficou embutido dentro dele, acabou acreditando como real.

Por exemplo, se lá na minha infância me falaram que eu não era capaz, que sou um burro mesmo, que não conseguiria chegar aos meus objetivos... Isso pode ter ficado gravado de tal maneira que eu acabei acreditando que aquilo era verdade e quando na minha vida adulta tento pensar diferente “eu vou conseguir, eu vou dar conta”, lá dentro do cérebro ele diz “não, essa não é a informação correta, aqui está escrito que a informação correta é que você não vai conseguir”. E isso acaba puxando o paciente pra trás, lhe sabotando, impedindo de chegar aos seus objetivos.

 

Quando nós conseguimos entender realmente o que o sintoma quer dizer, podemos ressignificar essa informação e colocar ao nosso paciente que aquilo que ele viveu lá atrás não condiz mais com o que ele vive hoje, possibilitando então, através do entendimento, modificar a percepção dele, o tirando dos trilhos do conflito.

Se não entendemos o que o sintoma do nosso paciente quer dizer, não vamos ter como acessar esse subconsciente, porque muitas vezes aquele paciente não quer revelar o que está escondido dentro dele ou nem ele mesmo sabe o porquê ele tem aquele sentimento ou porque ele tem aquele sintoma, o porquê ele age daquela forma como age em determinados momentos.

 

Quando estudamos a relação causal de cada sintoma, nós conseguimos ir a fundo nessa interpretação e aí chega um momento que o paciente fala “parece que tu tá lendo a minha mente” e isto ocorre porque você consegue realmente decifrar esse enigma, porque se o paciente fala tem uma dor de cabeça frontal, você compreendendo, já pode relacionar que ela vinculada com alguma situação de autodesvalorização intelectual, que ele possa ter vivido nesses últimos dias ou hoje mesmo, assim o paciente fica impressionado de como você como terapeuta pode saber disto?

Mas eu não leio a mente de ninguém, porém o órgão, o tecido ou o sintoma dele está me dizendo e ele não mente.

O sintoma não mente para nós. O paciente pode mentir, ele pode negar aquela informação, mas lá dentro dele ele sabe que aquilo é o que realmente ele está vivendo e quando somos precisos nessa informação, a resposta é rápida, porque o sentido da informação  é coerente com o que o corpo sente e agora o paciente pode tomar a decisão para sair do processo, sabendo a origem do sintoma ou da sua ação, porque enfim ele pode modificar aquela percepção sobre aquele sintoma.

 

Então é possível fazer uma cópia da chave desse quarto escuro do paciente e assim poder abrir essa porta e desvendar o que está lá dentro. Quando você estuda a fundo as leis biológicas que consegue então ter essa chave mestra que pode abrir essa porta e por consequência conseguir entender o que cada um dos seus pacientes vêm te trazer.

 

Quando você entende o motivo que cada um dos pacientes tem para vir até você, eles ficam impressionados e realizados porque realmente nunca ninguém entendeu o que eles viviam, nunca ninguém sabia o que eles passavam ou nem mesmo eles entendiam o que eles viviam. Quando isso acontece realmente é como se trouxéssemos novas possibilidades na cabeça desses pacientes: eles conseguem compreender que eles podem agir de uma forma diferente a cada situação que eles vivem.

E aí isso fez sentido para você?  Faz sentido entender os sintomas do paciente e interpretar realmente o que mora lá dentro dele?

 

Se você quer aprender mais, quer ir mais a fundo então você não pode perder esse ano a Leis Biológicas Experiência que acontecerá em novembro! Fique ligado que logo trago mais informações.

 

Quer saber mais sobre a Origem Emocional dos Sintomas? Confira os vídeos com outros conteúdos no YouTube.com/ivanbonaldo


Dr. Ivan Bonaldo (Crefito 8/99696-F)

Fisioterapeuta e idealizador do Curso Origens

 

Quinta-feira, 05 de Março de 2020
Voltar
Rua Silvio Vidal - 175, Sala 601 | Centro Médico Dr. Silvio Vidal - Pato Branco - PR
ivanbonaldo@yahoo.com.br | ativaterapias@gmail.com
(46) 3025-5399 | (46) 9981-2112
Site Desenvolvido por Agencia PQPK